O sofá é o protagonista de todas as salas. Seu uso vai além de receber uma visita. Algumas pessoas passam tantas horas no sofá quanto em outros cômodos e móveis, e ele agrega a hora do filme, o conforto de um fim de tarde, uma boa conversa na sala de estar, entre tantas outras situações da nossa vida cotidiana. Por isso, na hora de escolher o melhor sofá, é preciso reconhecer que uma estratégia para comprar o móvel certo é necessária. Sofás não são baratos e seu uso é infinitamente importante em uma casa.

1. Pense bem no uso do mobiliário
Cada cômodo tem uma função específica, assim como cada tipo de sofá. Sofá para sala de TV ou de home theater deve ter espuma mais mole devido ao conforto que proporciona a quem vai passar períodos longos assistindo a filmes e programas. Na sala de estar, pode ser mais dura apenas para sentar e receber as pessoas. Veja qual o cômodo onde ele ficará.

2. O sofá determina o tapete
Se o sofá for escuro, o chão deverá receber uma peça clara. Caso seja estampado, o tapete deverá ser mais neutro, e assim por diante. O importante é que o tapete e o sofá “não briguem” entre si na hora da composição dos dois.

Sofá de cor forte pede um tapete mais neutro / Foto: Home Decor/Divulgação

Sofá de cor forte pede um tapete mais neutro / Foto: Home Decor/Divulgação

3. Sofá escuro para quem tem bichos ou crianças

A dica para casas com crianças e animais de estimação é sofá escuro, que disfarça melhor possíveis sujeiras e bagunças causadas pelos pequenos, o que é perfeitamente normal. Mas nesse caso, a decoração do restante do ambiente deve priorizar tons claros, evitando ar pesado e aspecto de que o espaço é menor.

4. Veja bem o espaço de circulação
O tamanho da sala dita o do sofá. É importante que haja, no mínimo, 70 cm de espaço para circulação em volta do móvel. Caso o ambiente seja pequeno e possa receber apenas uma peça de dois lugares, a sugestão é apostar em pufes como mesa de centro, por exemplo. Além disso os sofás podem ser utilizados para dividir o ambiente. Os arquitetos indicam dispor um aparador atrás deles.

5. Sofá neutro é uma escolha inteligente

É mais econômico investir em detalhes coloridos do que em um sofá chamativo. Se enjoar, basta comprar mantas e almofadas diferentes, o que sai bem mais barato que um móvel novo. As mantas são ótimas opções para complementar o visual. Se a decoração é mais clássica, coloque uma bem dobrada sobre o sofá. Ambientes despojados pedem uma disposição mais “desarrumada”.

Sofá escuro mostra menos sujeiras eventuais / Foto: Mobly/DivulgaçãoSofá escuro mostra menos sujeiras eventuais / Foto: Mobly/Divulgação

Sofá escuro mostra menos sujeiras eventuais / Foto: Mobly/DivulgaçãoSofá escuro mostra menos sujeiras eventuais / Foto: Mobly/Divulgação

6. Priorize conforto
Existe um truque para saber se o sofá é confortável especificamente para você. Sente-se nele com as pernas cruzadas uma sobre a outra, da mesma forma que você fazia quando era criança e sentava no chão. Se você couber no assento sem que seus joelhos fiquem para fora, a peça passou no teste. Sobre a espuma, as densidades do assento, dos braços e dos encostos devem ser diferentes, pois as fadigas não são iguais. O vendedor da loja deverá informar isso, e se ele não souber, procure outra loja.

Conforto do sofá é o mais importante / Foto: Revista Decor/DivulgaçãoConforto do sofá é o mais importante / Foto: Revista Decor/Divulgação

Conforto do sofá é o mais importante / Foto: Revista Decor/DivulgaçãoConforto do sofá é o mais importante / Foto: Revista Decor/Divulgação

7. Fuja dos sofás-cama
Por não serem muito bonitos e confortáveis, os sofás-camas ficam restritos aos quartos de hóspede. Podem economizar espaço no quarto de hóspedes, mas não compensa ter um sofá-cama na sala para ser utilizado como uma peça normal. Além disso, seu valor costuma ser mais caro.

Fonte: MidiaMax